sábado, 24 de setembro de 2016

VENDA DA PARTICIPAÇÃO NA CPFL (CIA PAULISTA DE FORÇA E LUZ)



Aprovada operação de alienação da CPFL

 

Conselho Deliberativo aprova venda de toda participação da PREVI na companhia elétrica a partir do exercício do direito de venda conjunta à chinesa State Grid.

O Conselho Deliberativo da PREVI aprovou, em 23/09, a proposta da Diretoria Executiva de venda das ações de emissão da CPFL Energia vinculadas ao Acordo de Acionistas. A venda dessas ações decorre do exercício do direito de venda conjunta (tag along), previsto no referido acordo.

A venda tornou-se possível em função da negociação entre Camargo Corrêa e State Grid Brazil Power Participações Ltda., subsidiária da empresa estatal chinesa State Grid International Development Limited, responsável por gerar, transmitir e distribuir energia para 88% da população chinesa.
Com o exercício do tag along pela PREVI, será caracterizada a troca de controle da CPFL Energia, obrigando a State Grid a realizar Oferta Pública de Aquisição (OPA) da totalidade das ações emitidas pela CPFL Energia em poder dos acionistas minoritários, nas mesmas condições ofertadas à Camargo Corrêa.
O Conselho Deliberativo da PREVI também aprovou a venda das ações de emissão da CPFL Energia não vinculadas ao Acordo de Acionistas, detidas pela PREVI. Essa venda ocorrerá com adesão da PREVI à referida OPA.
A venda das duas partes representará um ingresso de, aproximadamente, R$ 7,5 bilhões no caixa da PREVI e um ganho substancial quando comparado ao valor de mercado da CPFL Energia ao final de 2015.
A variação entre o preço registrado no balanço em 2015 e o preço de venda produzirá ganho da ordem de R$ 2,9 bilhões, contribuindo para redução do déficit apurado naquele período.
Por fim, além do preço atrativo, a venda será estratégica para geração de liquidez do Plano 1 da PREVI. Cabe ressaltar que movimentos como esse deverão se intensificar nos próximos anos, a depender obviamente de oportunidades adequadas, uma vez que desinvestimentos em renda variável fazem parte da estratégia prevista na Política de Investimentos do maior plano da PREVI, visando buscar segurança e perenidade para fazer frente aos crescentes compromissos de pagamento de benefícios aos associados.
Fonte: Site da PREVI

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

OS MARAJÁS DO BB

    O site O Antagonista traz uma menção às aposentadorias milionárias do BB. Aldemir Bendine e Alexandre Abreu são citados como exemplos de aposentadoria precoce (aos 50 anos de idade) e com mais de R$ 60.000,00 (Sessenta mil reais) mensais.

CLIQUE AQUI (Para ler a noícia na fonte)

      É por essas e por outras que o nosso sistema previdenciário fechado pode quebrar. Afinal, no sistema público (INSS) existe teto. Na previdência fechada, não. Com a palavra a dona PREVIC (órgão fiscalizador).

ALDEMIR BENDINI, EX-PRESIDENTE DO BANCO DO BRASIL E PETROBRÁS, NESTA ÚLTIMA NOMEADO POR DILMA ROUSSEFF.

ABAIXO: ALEXANDRE ABREU, EX-PRESIDENTE DO BB NO GOVERNO DILMA.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

DILMA DURO

      Legado o PT deixado por Dilma Rousseff:

      Trabalhadores que nunca trabalharam.

      Sem terras que nunca plantaram.

      Estudantes que nunca estudaram.